Em 07/09
Até 2002/03 o teatroàparte foi designado por Pó de Palco. O ano de 2008 iniciou-se com a saída do Jorge Parente e o grupo começou a trabalhar com o encenador Gonçalo Amorim, o que implicou um período de adaptação, de descoberta das nossas novas linhas artísticas e de redescoberta de motivações. Desta forma, o habitual espetáculo de maio teve de ser adiado para o último trimestre do ano. Em novembro de 2008, com encenação e direção de Gonçalo Amorim, o grupo leva a cena no Auditório da Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro a peça “Casas”, baseada na obra homónima de Miguel Castro Caldas. Foram apresentadas nove representações, com uma assistência de cerca de 1000 pessoas. Em maio de 2009 o teatroàparte apresenta uma criação coletiva "Guarda-Sol Amarelo", sob a encenação de Gonçalo Amorim e dramaturgia de Ana Bigotte. Foram efetuadas 7 representações, entre 15 e 30 de maio, com cerca de 900 espectadores. A 22 de maio foi integrada no Mostra de 2009. Em julho de 2009 a peça "Guarda-Sol Amarelo" dá lugar a uma exposição na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, onde é apresentado um dos objectos mais importantes da peça: uma maqueta do bairro de Telheiras construída pelos elementos do grupo. Esta maqueta integra-se agora no espólio do Museu da Cidade, em Lisboa.

 

teatroàparte / Grupo da Art Tel . 919 520 807 teatroàparte nos media E-mail . info@teatroaparte.pt

Enviando formulário…

O servidor encontrou um erro.

Formulário recebido.

SIGA-NOS

CONTACTOS

BILHETEIRA
teatroàparte 2017 - todos os direitos reservados